13-10-2014

No futuro as casas vão seguir o sol e ter autonomia energética. Vão poder mudar de lugar sem prejuízo para o meio ambiente. E vão crescer com a família, como um corpo moldável e inteligente. Ora o futuro é o minuto a seguir, aquele em que lhe apresentamos um dos finalistas do nosso Prémio, inscrito na categoria “Arquitetura e Artes Visuais”: sim, já há Casas em Movimento (CEM).
Nascido em 2008, no âmbito do projeto Lidera da Universidade do Porto, o conceito tem a assinatura de Manuel Vieira Lopes, arquiteto. Alvo de atenção ao nível nacional e internacional, mereceu já o elogio de individualidades como Siza Vieira ou Souto Moura – são os mestres a validar uma solução única e pioneira, protegida por patente, que responde aos requisitos de sustentabilidade, mobilidade e adaptabilidade do séc. XXI.
A natureza indicou o caminho. O “efeito girassol” destas casas surge através da combinação de dois movimentos, o de rotação do próprio edifício (que gira aproximadamente 180° de nascente para poente ao longo do dia) e o de rotação da sua cobertura fotovoltaica, que pela inclinação maximiza a exposição ao sol. Acontece, desde modo, uma elevada produção de energia limpa e gratuita. Esta autossuficiência energética (ao ano é produzida cinco vezes mais energia do que a consumida) acarreta outras vantagens que importa reter: a redução de emissão de CO2, a redução em pelo menos 80% nos consumos em climatização e, obviamente, a redução de custos.
Outra característica diferenciadora é a conceção modular, o que significa uma brutal capacidade de adaptação. A facilidade de adição ou subtração de módulos não só permite mudanças de programa de construção a qualquer momento, como indica agilidade e rapidez na resposta de fabrico e montagem. Chega-se, assim, a outra mais-valia da marca: a possibilidade de transportar a casa para um outro local, seja qual for o clima. Por tudo isto, as CEM podem ser construídas inclusive em locais sem abastecimento de rede elétrica.
A preparar-se para habitar o mundo, assumindo-se como “a casa que se paga a si própria e em poucos anos”, a Casas em Movimento (o produto justificou a criação de uma startup) tem no sector hoteleiro um dos seus mercados-alvo. Mas as portas estão abertas a todos os que procuram uma solução “verde”, económica e que dá um sentido literal e novo à frase “querido, mudei a casa”…
OUTRAS NOTÍCIAS
CITY CHECK. Descobrir a cidade através de jogos

CITY CHECK. Descobrir

a cidade através de jog...

WONDER COVER. Joga com amigos à volta do tablet

WONDER COVER. Joga

com amigos à volta do tabl...

SOUND PARTICLES. De Leiria para Hollywood

SOUND PARTICLES. De

Leiria para Hollywood

IGUANEYE. Afinal (não) estamos descalços

IGUANEYE. Afinal

(não) estamos descalços

Grandes ideias no pequeno ecrã

Grandes ideias no

pequeno ecrã

Sensi quer revolucionar meio musical

Sensi quer

revolucionar meio musical

Candidaturas encerradas

Candidaturas

encerradas

MAIS NOTÍCIAS  1   2   3   4   5   6   7   8   9   10   11   12   13   14   15   16   17