02-05-2016

Chama-se Exclusiph, foi lançada há dias e está já a ser usada por várias editoras independentes, como as internacionais 4AD e Secretly Group ou as portuguesas Turbina e Murmúrio. A nova plataforma, uma ferramenta inovadora e pioneira de gestão e distribuição de imagens para a indústria da música, é o mais recente serviço criado pela Musikki, sendo financiado em quase um milhão de euros pelo maior fundo de capital de risco em Portugal.
A startup portuguesa – vencedora do Prémio Nacional Indústrias em 2013 – acentua, com este novo investimento, o seu caráter global e crescente relevância no setor musical. Hoje, o fenómeno Musikki (com escritórios em Londres, Porto e Aveiro) fornece uma série de serviços B2C e B2B na esfera alargada da música, incluindo a Musikki Music API.
 
O serviço Exclusiph “permite a distribuição de imagens para todos os canais de distribuição com o upload de apenas um ficheiro. Ao submeter um ficheiro de alta resolução, por exemplo TIFF, o Exclusiph gera automaticamente a imagem para impressão, download digital e embed. Créditos, metadados de música e conteúdos relacionados como press releases, links de vídeos e de áudio podem ser todos adicionados aos ficheiros de imagem, tornando o Exclusiph a ferramenta perfeita para a promoção de um álbum” – lê-se em comunicado da Musikki.
 
VÊ O VÍDEO EXCLUSIPH
 
Segundo a empresa, a nova plataforma foi “desenvolvida e aperfeiçoada em conjunto com a editora 4AD, lar de bandas como The National, Beirut e Grimes”. O que é bom cresce e num instante a solução Exclusiph mereceu a atenção de outras editoras independentes e grupos de editoras, tais como Secretly Group, que inclui artistas como Destroyer e Sharon Van Etten.
“Entusiasmado com o lançamento do Exclusiph”, Rich Walker, diretor geral da 4AD, considera que “a ideia é simples e pode realmente ajudar a resolver algumas questões que enfrentamos com o armazenamento e a distribuição da imagem."
João Afonso, cofundador e CEO da Musikki, acredita que o novo serviço “irá realmente revolucionar não só a forma como gerimos e distribuímos imagens na indústria musical, mas em todas as indústrias onde imagem e marca são importantes".
Ou seja, isto é só o princípio: depois da indústria musical, o Exclusiph irá expandir-se por outros setores, “tais como cinema, moda e desporto, que também são fortemente dependentes de sistemas de gestão e distribuição de imagens” – revela uma startup que tem tudo para agradar à Portugal Ventures, como salienta o seu CEO, Marco Fernandes: "Temos grandes expectativas para a Musikki. Este tipo de plataforma dedicada à indústria musical, atualizada em tempo real e nascida globalmente, é o tipo de startup em que queremos investir de forma a promover o ecossistema das startups portuguesas”.
OUTRAS NOTÍCIAS
Birdadvisor360°, a app que observa os pássaros

Birdadvisor360°, a

app que observa os pássaro...

A "cultura líquida" está no Hub Criativo do Beato

A "cultura líquida"

está no Hub Criativo do B...

O Prémio vai a Copenhaga com os pés confortáveis

O Prémio vai a

Copenhaga com os pés confortáv...

Boas ideias e bons projetos vão ao Laboratório

Boas ideias e bons

projetos vão ao Laboratóri...

WONDER COVER. Joga com amigos à volta do tablet

WONDER COVER. Joga

com amigos à volta do tabl...

SOUND PARTICLES. De Leiria para Hollywood

SOUND PARTICLES. De

Leiria para Hollywood

IGUANEYE. Afinal (não) estamos descalços

IGUANEYE. Afinal

(não) estamos descalços

Duas vencedoras do Prémio candidatas aos The Europas

Duas vencedoras do

Prémio candidatas aos The ...

MAIS NOTÍCIAS  1   2   3   4   5   6   7   8   9   10   11   12   13   14   15   16   17   18